A importância do Risco de Acidente de Trabalho (RAT) no eSocial

eSocial

O eSocial já está acontecendo para algumas empresas dentro do cronograma apresentado, conforme eu falei no post anterior; e muitas empresas começam a se preparar para atenderem a esta exigência, que até 2019, todas as empresas serão obrigadas a transmitir, incluindo MEI , ONG e Profissionais Liberais que possuam funcionários.

Entendendo a importância do RAT (Risco de Acidente de Trabalho)

O RAT é uma Alíquota Progressiva que varia de acordo com o risco da atividade econômica da empresa, medida através do Grau de Incidência de Incapacidade Laborativa (GIL-RAT), assim se a atividade apresentar um risco:

  • Grave a sua alíquota será de + 3%;
  • Médio a sua alíquota será de + 2%;
  • Mínimo a sua alíquota será de de + 1%;

Sobre o total da remuneração paga, devida ou creditada a qualquer título no decorrer do mês, aos assegurados empregados e trabalhadores avulsos.

As empresas deverão informar no seu cadastro no eSocial, a qual RAT pertence naquele momento. O RAT deve ser verificado mensalmente, em análise com o CNAE preponderante.

Você pode ver a Porcentagem(%) do RAT a qual sua empresa pertence neste documento do site da Receita Federal.

Vale lembrar que a SoftServ está acompanhando os testes de transmissão do eSocial feitos pelos seus clientes no RHpag e que estão sendo feitos com sucesso e sem mistério nesta 1ª etapa, de forma simples e fácil.

Atuando a doze anos na carreira de consultor e palestrante, tem levado às empresas palestras personalizadas com uma combinação perfeita de conhecimento, entusiasmo e experiência prática, gerando com isso uma melhora significativa na eficácia das organizações. Junto com a SoftServ iremos auxiliá-los toda semana com dicas e novidades!
Gostou? Compartilhe com seus amigos...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *